Blog do PAULO MELO

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Síndico profissional uma nova politica para o condomínio

O Síndico

Paulo Roberto Melo é um Síndico Profissional preparado para administrar condomínios dos mais diversos padrões e níveis de complexidade. A sua experiência permite solucionar todas as situações de gestão condominial. Sua história começou por acaso em dezembro de 2011, quando assumiu o Condomínio Edifício Anya, sendo que no 1º semestre de 2012 vendo a necessidade de especialização conseguiu a criação do curso de formação de síndicos oferecido pela administração de Brasília, com essa ideia ele fez o curso sendo aluno destaque, se tornou coordenador do curso já na segunda turma é fez outras seis turmas do curso como coordenador formando mais de mil pessoas nos cursos de formação para síndicos. Participou de vários cursos, palestras e eventos relacionados com administração de condomínios, destacando-se no Encontro Nacional de Administração de Condomínios em Salvador em 2012 e Brasília em 2013, quando ganhou o prêmio DESTAQUE de 2012, pela implantação em seu condomínio o Projeto Eco Óleo. Atualmente é presidente da Associação de Síndicos e Subsíndicos do Distrito Federal e Região Metropolitana - ASSOSÍNDICOS/DF, hoje associação importante no DF que já conta com aproximadamente três mil síndicos associados por livre espontânea vontade, na ASSOSÍNDICOS/DF ele lançou é está em funcionamento mais de 18 programas que beneficia do síndico aos funcionários de condomínios. Paulo atua hoje no Condomínio do Edifício Anya na Asa Sul e no Condomínio do Edifício Athenas em Taguatinga.




Vantagens de eleger um síndico profissional


A principal vantagem em eleger um síndico profissional é a imparcialidade, não havendo envolvimento com vizinhos e empregados, outra vantagem é que não existe vinculo empregatício, tratando-se de uma eleição em assembleia ordinária ou extraordinária nos mesmos moldes como se fosse um condômino, apenas assumindo uma postura profissional.


Acompanhamento diário da vida condominial em tempo hábil.


Elaboração de normas de normas de segurança e treinamento de pessoal.


Redução de despesas condominiais.


Acompanhamento do trabalho da Administradora.


Filosofia
Promover a qualidade de vida colaborando para uma convivência mais humana e harmoniosa. Sua meta é tornar mais segura, econômica e agradável á vida condominial.


Responsabilidade e compromisso com os condôminos
Tem profundo respeito pelo patrimônio dos condôminos, não faz concessões que coloquem em risco este patrimônio e trabalha qualificando processos e pessoas para garantir o cumprimento deste compromisso.


Valorizando o ser Humano o 
Condôminos, prestadores de serviço, equipe funcional das administradoras de condomínio recebem todo seu respeito e cordialidade.


Negociação
O Síndico Profissional consegue negociar produtos e serviços, obtendo resultados compensadores para os condôminos.


Prerrogativas
Desenvolver novas ideias, para que sejam ouvidas, debatidas. Observando que a criatividade aliada à experiência é o segredo da liderança e do sucesso.


Experiência
A experiência profissional permite um planejamento e controle das contas.


Manutenção preventiva a 
Os condomínios devem fazer a manutenção preventiva da estrutura, que é realizada periodicamente por um profissional da área.


Administração
A administração feita por um síndico profissional gera mais economia, com mais organização financeira para o condomínio evitando cotas extras.


Manutenção preventiva a 
Os condomínios devem fazer a manutenção preventiva da estrutura, que é realizada periodicamente por um profissional da área.



Redução de despesas condominiais
Avaliando o balancete do condomínio, e apurando todas as despesas e desenvolvendo um plano de redução de cada uma delas.


Legislação

A lei 4591/64, que regula o funcionamento global dos condomínios e, após Janeiro/2003, o Novo Código Civil, deu amparo ao exercício da função de síndico profissional, como pode ser visto no seu artigo 1347, onde está especificado, “A Assembleia escolherá um síndico, que poderá não ser condômino, por prazo não superior a dois anos, o qual poderá renovar-se”. Desta forma a Assembleia Geral do Condomínio, pode perfeita e legalmente atribuir a terceiros as responsabilidades da função de síndico, desobrigando que um condômino assuma a função de síndico, contribuindo para que nas assembleias de eleição de síndico, ninguém fique com a preocupação de assumir sem ter a mínima vontade e responsabilidade que a função exige.


Pulo Roberto Melo Síndico Profissional
PRM Síndico Profissional
Síndico Profissional DF



Síndico Profissional BSB

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Mais saúde à mesa dos brasileiros

Mais da metade dos brasileiros (50,8%) estão acima do peso ideal e, destes, 17,5% são obesos. De acordo com dados da pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico de 2013, os números são 19% e 48%, respectivamente, superiores aos registrados em 2006. A obesidade é considerada fator de risco para doenças crônicas como diabetes e hipertensão e para alguns cânceres.

Baseado no dados, o Ministério da Saúde lançou ontem o Guia Alimentar para a População Brasileira. A pasta produziu um documento sugerindo ao brasileiro dar preferência a uma alimentação caseira e fresca, além de evitar produtos ultraprossessados, como salgadinhos de pacotes, macarrão instantâneo e refrigerantes. A publicação tem 152 duas páginas e será distribuída em escolas e unidades de saúde. O ministério também dispobilizou uma versão on-line no site.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, ressaltou que a obra tem linguagem acessível. “O guia se transforma cada vez mais em um instrumento de educação para a alimentação saudável”, disse. “Ele passa a ser um manual que prioriza a qualidade dos alimentos ingeridos. Não há mais, por exemplo, uma predefinição de porções”, disse o ministro referindo-se ao formato das orientações anteriores, que trabalhava com grupos alimentares e porções recomendadas de carboidratos e proteínas.

Lançado em 2006, o primeiro guia era de difícil compreensão mesmo para profissionais de saúde, de acordo com o ministro. Desta vez, a publicação é ilustrada e de linguagem mais clara. O guia também valoriza, de acordo com Chioro, os hábitos culturais dos brasileiros. O prato mais comum na mesa dos brasileiros — com arroz, feijão, salada e uma carne — foi bem recomendado pela pasta. A restrição é mais pelo modo de preparo. Orienta-se que a utilização de óleo, gordura, sal e açúcar seja sempre em pequenas quantidades.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Entrevista com o presidente da ASSOSÍNDICOS/DF, síndico Paulo Roberto Melo

Em uma tarde de trabalho na sede da associação na cobertura de um prédio na 514 sul, no último dia 23/08 o portal visitou o presidente da ASSOSÍNDICOS/DF, síndico Paulo Roberto Melo, que nos concedeu uma entrevista exclusiva. Melo é um jovem síndico, fundador da Associação de Síndicos e Subsíndicos do Distrito Federal e Região Metropolitana - ASSOSÍNDICOS/DF, Paulo também é o primeiro presidente da ASSOSÍNDICOS/DF.

Portal - O QUE FOI FEITO PELA ASSOSÍNDICOS EM UM ANO? 
Paulo Roberto Melo - Começamos uma serie de programas e projetos que hoje são cerca de quinze, os quais beneficiam morador, síndico e funcionários de condomínios. Atualmente a ASSOSÍNDIOCOS/DF tem o programa escola de síndicos que está em sua sexta turma com cerca de seiscentos síndicos beneficiados; o clube de vantagens assosíndicos que houve entrega de mais de dois mil cartões; o programa qualifica condomínios que capacitou mais de setecentas pessoas; o selo de qualidade, em que as melhores do DF recebem; o programa vistoria legal que visa à realização de vistorias no condomínio; o projeto eco óleo que retira o óleo do condomínio para cooperativas. Fizemos também a caravana da assosíndicos, o prêmio síndico empreendedor, o prêmio síndico bom de gestão, o prêmio empresa amiga do síndico. Realizamos todo ano a semana do síndico, oferecemos para os síndicos consultoria contábil, financeira, administrativa e gerencial. Além disso, o programa assosíndicos cidadã que recolhe alimentos e agasalhos e doa em asilos, creches e em comunidades carentes. Há o portal da transparência assosíndicos, o informativo síndico em ação, entre outras ações. Firmamos convênio com a UDF para oferecer descontos de até 30% nos cursos de graduação e iremos retomar no próximo semestre o curso superior de gestão de condomínios. A UDF também ira abrir uma pós graduação de gestão de condomínios. Está firmado com o reitor do IFB e já publicado no diário oficial da união dois convênios com o instituto federal de Brasília, para que possamos promover cursos pelo Pronatec e curso técnico de gestão de condomínios. Promovemos uma seção solene em comemoração ao dia do síndico. Enfim, os projetos e programas desenvolvidos pela assosíndicos são para a comunidade de síndicos, moradores e funcionários.


Portal - PAULO COMO É A ESCOLA DE SÍNDICOS?
Paulo Roberto Melo - Existe na assosíndicos o programa Escola de Síndicos, que levou três cursos voltados para os gestores de condomínios pelas cidades do Guará, Cruzeiro, Plano Piloto, Sudoeste, Taguatinga e Águas Claras. Sendo Curso de Sindico Profissional, Curso Básico de Síndico e Curso de Síndico, além da promoção de palestras e encontros para a discussão da gestão de condomínios.

Portal - COMO FUNCIONA ESSE CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL? 
Paulo Roberto Melo - O curso de sindico profissional é um curso bem completo de cerca de 90h/a que habilita uma pessoa a trabalhar como síndico profissional. Nesse curso o aluno aprende tudo sobre a gestão de condomínios, com aula pratica, inclusive. Esse curso é uma boa oportunidade para pessoas que já se aposentaram ou pessoas que estão buscando uma colocação no mercado de trabalho. Lembrando que ser síndico não é para todos.

Portal - COMO É ESSE CLUBE DE VANTAGEm ASSOSÍNDICOS? Paulo Roberto Melo - O cartão Clube de Vantagens Assosíndicos e um cartão de benefícios que dá desconto em cerca de 700 estabelecimentos entre faculdade, laboratórios, academias, posto de combustível, cinemas e outros estabelecimentos. Já entregamos mil cartões para síndico e moradores de condomínios. Vamos entregar cem mil cartões ate o fim de 2015 para os síndicos, subsíndicos, moradores de condomínios e funcionários de condomínios. Com os descontos do cartão o morador/condômino poderá ter a sua taxa de condomínio saindo de graça, pois o desconto é muito grande em diversos estabelecimentos que esse beneFÍCIOio pode zerar o valor da taxa de condomínio, sobrando dinheiro para o morador investir em outras coisas.

Portal - COMO FUNCIONA O PROGRAMA QUALIFICA CONDOMÍNIOS? 
Paulo Roberto Melo - O programa de qualificação e requalificação da ASSOSÍNDICOS/DF de pessoas que trabalham em condomínios é um programa voltado para as pessoas que trabalham em condomínios ou pessoas em situação de vulnerabilidade social, que estão desempregadas à procura de uma colocação no mercado de trabalho. Esse programa oferece curso de relações interpessoais, agente de portaria, agente de zeladoria, primeiros socorros e comportamento em condomínio. Os cursos também são gratuitos. Nesse um ano já fizemos cerca de 8 turmas nas cidades de Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Vila Planalto, Plano Piloto, Sudoeste e Guará, formando cerca de setecentas pessoas em 8 cursos.

Portal - COMO É O SELO DE QUALIDADE ASSOSÍNDICOS? 
Paulo Roberto Melo - Uma equipe de auditores da ASSOSÍNDICOS visita as empresas, inspeciona os procedimentos, conversa com os clientes para que os síndicos tenham a certeza que estão com empresas de qualidade com o selo de qualidade assosíndicos.

Portal - QUAIS EMPRESAS TEM O SELO DE QUALIDADE ASSOSÍNDICOS? 
Paulo Roberto Melo - Já são cerca de 15.

Portal - CITE POR FAVOR? 
Paulo Roberto Melo - Não vou citar, pois não me lembro de todas e posso cometer uma injustiça com as não citadas. Veja no portal www.assosíndicosdf.com.br

Portal – COMO FUNCIONA O VISTORIA LEGAL? 
Paulo Roberto Melo - O programa Vistoria Legal realiza vistorias nos condomínios à pedido do síndico ou administrador com um custo subsidiado pela associação. Fizemos cerca de quarenta vistorias e estamos lutando na câmara legislativa para aprovar o projeto de lei que exige a auto vistoria PARA assim podermos dar tranquilidade para os síndicos e moradores com edifícios vistoriados, certificados e com a manutenção preventiva em dia.

Portal – COMO FUNCIONA O ECO ÓLEO? 
Paulo Roberto Melo - O projeto eco óleo é um programa que visa eliminar todo o ÓLEO da rede de esgoto condominial e da Caesb, assim a assosíndicos recolhe em parceria com cooperativas o óleo de cozinha para ser transformado em sabão de barra. Hoje no DF existem cerca de 30 condomínios que recolhem o óleo de cozinha e repassam para a cooperativa. Assim nós ajudaremos a preservar o meio ambiente e apoiar pequenos empreendedores que vão transformar um passivo para as redes de esgoto em um ativo para a sua renda.

Portal – O SENHOR FEZ A CARAVANA DA ASSOSÍNDICOS, COMO FUNCIONA?
Paulo Roberto Melo – A caravana da assosíndicos é um programa que já visitou trezentos condomínios do DF e entorno. Quando nós vamos visitar os síndicos e os condomínios, levamos alguns diretores conosco e fazemos uma consultoria gratuita in loco com o síndico e funcionários do condomínio.

Portal – QUE PRÊMIOS SÃO ESSES QUE A ASSOSÍNDICOS ENTREGA?
Paulo Roberto Melo – Temos o mérito assosíndicos, prêmio síndico empreendedor, o prêmio síndico bom de gestão e o prêmio empresa amiga do síndico. O prêmio mérito assosíndicos é para pessoas que contribuíram para o desenvolvimento da associação. O prêmio síndico empreendedor é para aquele síndico que criou uma ação nova que inovou na gestão do seu condomínio. Já o prêmio síndico bom de gestão é para aquele que pegou o condomínio com dividas cheio de problemas, conseguiu resolver problemas esse síndico merece o prêmios síndico bom de gestão. Temos também o prêmio empresa amiga do síndico que visa premiar as empresas que são parceiras dos síndicos ajudando o mesmo com bons serviços prestados e inovando sempre. Com essas ações estamos fazendo uma grande ação para aumentar a auto-estima dos síndicos no Distrito Federal.
Jornalista – PRESIDENTE QUE CONVÊNIOS SÃO ESSES QUE VOCÊ FEZ?
Paulo Roberto Melo – Fizemos diversos convênios com a UDF, IESB, IDP, UniCEUB, UNIP, Instituto Processus, outras faculdades, cursinhos e setecentos estabelecimentos comerciais que oferecem desconto de ate 30%. Mas o que mais me alegra foram os dois convênios firmados com o instituto federal de Brasília, que iremos oferecer cursos pelo pronatec de gestão de condomínios, de agente de portaria, de agente de zeladoria. Em um outro convênios iremos criar os cursos técnicos de gestão de condomínios e o curso técnico de porteiro e zelador de condomínio.

Portal – COMO ESTÁ A LUTA PELA REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO?
Paulo Roberto Melo – Estamos buscando a regulamentação da profissão de síndico profissional, em que todos os síndicos moradores ou não, sejam gestores qualificados e que recebam salário. E para isso tem em tramitação. Fizemos reuniões no senado e na câmara federal para buscar a aprovação dos PL 2225/2011, PL 6518/2009 e outros. Estamos fazendo a nossa parte na busca de uma boa gestão de condomínios.

Portal – O QUE VOCÊ ACHA DAS EMPRESAS TERCEIRIZADORAS DE MÃO DE OBRA EM CONDOMÍNIO?
Paulo Roberto Melo – Eu penso que as empresas terceirizadas são uma mão na roda para os síndicos, pois o que seria dos gestores de condomínios se não fosse às empresas prestadoras de serviços, elas prestam um bom serviço á sociedade de síndicos na qual represento. Mas é importante que o síndico tenha cuidado ao contratar as empresas, pois as microempresas de pequeno porte que são optantes do simples nacional não podem locar mão de obra. Também é importante que o síndico cobre da prestadora terceirizada a prestação de contas quanto às declarações anuais de IRPJ, os impostos trabalhistas pagos e só efetuar o pagamento a empresa após o pagamento pela empresa de funcionários e impostos.

Portal – PRESIDENTE PARA ENCERRAR DEIXE UMA MENSAGEM PARA A POPULAÇÃO DE CONDOMÍNIOS DO DF E REGIÃO METROPOLITANA?

Paulo Roberto Melo – Quero parabenizar a todos os moradores de condomínios, FUNCIONARIOS, gestores, subsíndicos e síndicos e quero dizer a todos que em um ano fizemos mais na ASSOSÍNDICOS do que foi feito em um sindicato durante quinze anos, que a ASSOSÍNDICOS não tem dono, não te reeleição e que o síndico pode vir pra cá que aqui ele tem espaço voz e vez. Estou trabalhando com humildade sem arrogância ou prepotência sempre recebendo os síndicos, moradores de condomínios e funcionários com um único objetivo melhorar a qualidade de vida da população de condomínios por meio se síndicos preparados com uma associação que tem trabalho de verdade. Já fizemos muito e faremos mais, o meu mandato vence em dezembro de 2015 ate lá eu ainda tenho objetivos audaciosos para cumprir e fazer mais e melhor pelos síndicos do DF e nossa região metropolitana. A ASSOSÍNDICOS/DF veio para defender a apoiar os síndicos e subsíndicos em sua tarefa árdua. A ASSOSÍNDICOS é a casa do síndico no Distrito Federal e região metropolitana.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Eleitores criticam excesso de propaganda eleitoral nas ruas do DF

Na briga pela exposição da imagem, alguns candidatos abusam de cartazes, faixas e panfletos. Mas, em muitos casos, em vez de atrair novos eleitores, o efeito acaba sendo o contrário


Desde o dia 6 de julho quando a propaganda política nas ruas foi liberada pela Justiça Eleitoral, a ordem para muitos candidatos é aparecer. Na briga pela exposição da imagem, alguns candidatos abusam de cartazes, faixas e panfletos. Mas, em muitos casos, em vez de atrair novos eleitores, o efeito acaba sendo o contrário.

“Não gosto! Isso não é bom. É uma poluição visual para a cidade. Não é bonito e não interessa a ninguém. O que nós queremos é que a cidade esteja limpa, organizada, a gente fica caminhando por aqui e vendo esse horror. Minha filha já disse que não vota em candidato que suja a cidade”, reclama a contadora Rosângela Ferreira. “Isso não me influencia positivamente em nada, só polui e atrapalha”, diz o jornalista Amaro Peixoto.

Há também aqueles indiferentes às propagandas que proliferam nas cidades. “Eu não me importo. Acho que não atrapalha. Tem uns locais permitidos, não atrapalham a circulação”, diz a estudante Sônia Lopes.

A insatisfação de boa parte dos eleitores não está só nas ruas. Nas redes sociais, várias páginas foram criadas com o intuito de incentivar o eleitor a postar fotos de práticas que desaprovam. Uma delas é a “Diga não ao candidato sujão”, no Facebook. Na mesma rede social há também um evento virtual chamado “Nesse eu não voto!”, que coloca na “lista negra” candidatos que abusam de cartazes e faixas nas cidades e que enviam mensagens instantâneas para celulares sem autorização.

“O administrador do perfil sempre procura orientar para não quebrar, chutar ou retirar do local [o material dos candidatos que está na rua]. A retirada ou punição aos que desobedecem à lei não nos cabe. Apenas demonstramos aos candidatos que o cidadão de Brasília não está gostando de ver sua cidade invadida por cavaletes, faixas e outros meios de publicidade”, diz Hélcio Gomes, um dos que confirmou presença no evento criado na rede social.

Na avaliação do advogado especialista em direito eleitoral e membro do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), Luciano Santos, existe uma intolerância não só com a campanha, mas com a política como um todo.

“Não dá para demonizar a eleição porque o sistema representativo é da democracia e nós precisamos dele. Não dá para achar que tudo é errado. Normalmente, quem faz campanha de rua são os candidatos para os cargos do Legislativo, são aqueles que não tem espaço de rádio e de televisão”, pondera.

Para Santos, entretanto, há candidatos que abusam da propaganda e “emporcalham” a cidade. A tendência, segundo ele, é que esse tipo de campanha seja abolida. "Hoje se pode fazer campanha pela internet, você tem outras formas de fazer campanha que não aquelas que vão poluir o visual. O próprio candidato tem que ter esse senso de que, muitas vezes, esse tipo de campanha faz perder e não ganhar voto", avalia.

Desde as eleições de 2006, com a aprovação da minirreforma eleitoral (Lei 11.300/06), as regras para esse tipo de propaganda começaram a mudar. Antes, era comum ver postes, paradas de ônibus e ruas lotados de propagada de políticos. Hoje, a norma proíbe práticas comuns no passado e determina, por exemplo, o tamanho dos cartazes com o nome de candidatos, os locais onde eles podem ser afixados e, até mesmo, os horários em que podem ficar expostos. Entretanto, nem sempre o que está em vigor é respeitado.

“Normalmente, a maior dificuldade, nas eleições municipais principalmente, é a questão do tamanho da propaganda. A legislação estabelece que ela pode ter no máximo 4 metros quadrados. E, muitas vezes, o candidato ou extrapola a metragem permitida ou tenta fazer uma justaposição de painéis de quatro metros que gera um efeito visual superior ao tamanho estabelecido”, explicou à Agência Brasil o ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ainda segundo o ministro, os tribunais regionais eleitorais (TREs) têm equipes de fiscalização de irregularidades. “A Justiça Eleitoral age por provocação. A fiscalização é feita pelos próprios partidos políticos e pelos candidatos que se autofiscalizam e acusam alguma irregularidade ou não. Qualquer eleitor que verifique uma irregularidade pode comunicar ao Ministério Público que vai ver se é o caso de notificar. Em problemas de irregularidade de propaganda de rua, muitas vezes, uma notificação já resolve a situação”, garante.

Segundo o Ministério Público Federal, é importante documentar com fotos ou levar o material irregular para fazer a denúncia já que esse material é usado como prova contra quem praticou as condutas proibidas. As denúncias podem ser feitas pela internet. Basta preencher o formulário eletrônico disponível na página do MPF.

No Distrito Federal, denúncias de propaganda irregular também podem ser feitas pelo site do TRE.

Abertas as inscrições em cursos gratuitos oferecidos pelos programas Escola de Síndicos e Qualifica Condomínios da ASSOSÍNDICOS/DF

Aulas são ministradas por síndicos, advogados, contadores, administradores e engenheiros e abordam temas como legislação de condomínios, noções de contabilidade, noções de administração, engenharia, eventos e sustentabilidade.

Com o objetivo de apoiar a gestão do síndico e aumentar a profissionalização do síndico e funcionários de condomínios a Associação de Síndicos e Subsíndicos do Distrito Federal e Região Metropolitana  criou dois programas um voltado para a qualificação e profissionalização de síndicos e futuros síndicos profissionais chamado de “Escola de Síndicos”,  já o outro programa da associação é o “ Qualifica Condomínios” que visa a qualificação e requalificação de pessoas que trabalham ou que pretendem trabalhar em condomínios.

A associação oferece cursos gratuitos é está com as inscrições abertas para os cursos seguintes cursos:

Escola de Síndicos
Curso Básico de SÍNDICO.
Valor: CURSO GRATUITO.
Inscrições: www.assosindicosdf.com.br
Dias de aula: 20, 21, 22 E 23 DE AGOSTO.
Horário: DE 20 Á 22/08 DAS 19H ÁS 22H E NO DIA 23/08 DAS 08H30MIN ÁS 12H.
Local: AUDITÓRIO DO 7° BPM - BATALHÃO DA POLICIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL - EQSW 2/3 - ÁREA ESPECIAL - SUDOESTE - BRASÍLIA-DF.Informações: 8115-3927 | 9993-9155 | 9665-5755 | 3027-2771 | 8422-5191 | 8101-1481 | 9346-8734

Curso de SÍNDICO PROFISSIONAL.
Valor: CURSO GRATUITO.
Dias de aula: 23, 30/08, 06, 13, 20, 27/09 E 04/09 DE 2014.
Horário: DAS 08H30MIN ÁS 12H.
Local: AUTO ESCOLA BALIZA CSA 01 LOTE 13 LOJA 01/02 TAGUATINGA SUL – AUTO ESCOLA BALIZA (AO LADO DA LOJAS AMERICANAS).
Informações: 8115-3927 | 9993-9155 | 9665-5755 | 3027-2771 | 8422-5191 | 8101-1481 | 9346-8734

Qualifica Condomínios
Curso AGENTE DE PORTARIA.
Valor: CURSO GRATUITO.
Inscrições: www.assosindicosdf.com.br
Dia de aula: 16 E 23 DE AGOSTO DE 2014.
Horário: DAS 08H30MIN ÁS 12H E DE 14 ÁS 18H.
Local: AUTO ESCOLA BALIZA CSA 01 LOTE 13 LOJA 01/02 TAGUATINGA SUL – AUTO ESCOLA BALIZA (AO LADO DA LOJAS AMERICANAS).
Informações: 8115-3927 | 9993-9155 | 9665-5755 | 3027-2771 | 8422-5191 | 8101-1481 | 9346-8734

Os cursos abrangem estratégias de segurança, motivação, regras de limpeza, estratégias de negociação, direito, eventos, sustentabilidade, noções de contabilidade, direito, eventos, organização, engenharia, entre outros temas. Os horários das aulas vão de 19h ás 22h15min e a carga horária varia de 25h/a á 90h/a.

O presidente da ASSOSÍNDICOS/DF, Paulo Roberto Melo afirma que a iniciativa são os programas de maior sucesso da associação. “Os programas Escola de Síndicos e Qualifica Condomínios são hoje os melhores programas da ASSOSÍNDICOS/DF e já formou cerca de 1300 pessoas em mais de cinco cursos, realizados em todas as regiões do DF, assim a nossa associação vai se firmando como uma entidade parceira do síndico e do funcionário do condomínio” avalia o presidente da associação.

Já o diretor de assuntos estratégicos da ASSOSÍNDICOS/DF, Ricardo Alvarenga diz que “esses cursos oferecidos pela ASSOSÍNDICOS/DF tem o melhor em professores e conteúdo que existe hoje no mercado brasileiro em disposição para os síndicos no DF” comentou o diretor.

O diretor de qualificação da ASSOSÍNDICOS/DF, Rômulo Rosa de Araújo, falou que a Escola de Síndicos da ASSOSÍNDICOS/DF é um dos melhores programas de educação de síndicos do  Brasil, “O síndico ou condômino que entrar na Escola de Síndicos, vai fazer um curso de qualidade que tem o certificado reconhecido pelo MEC como curso livre, além de ser uma oportunidade de qualificação para se colocar no mercado de trabalho em um mercado que pede cada vez mais qualificação e profissionalização” falou o diretor de qualificação.

A ex-aluna do Curso de Básico de Síndicos Pedroana Frazão, falou que o curso de síndicos ajudou muito ela na gestão do seu condomínio, “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia o que eu estou aplicando em meu condomínio” enfatizou a síndica.

O ex-aluno do Curso de Síndico Profissional, Fábio de Mesquita falou que o curso ajudou tanto ele que ele se tornou um síndico profissional, “Hoje sou síndico de três condomínios e estou muito bem pois, o curso da Escola de Síndicos me ajudou a ter o conhecimento para que eu possa administrar bem esses condomínios”, falou o hoje síndico profissional Fábio de Mesquita.

O ex-aluno do Curso de Agente de Portaria, Amarildo Costa Mota disse que fez o curso e em menos de um mês coseguiu o emprego de porteiro em condomínio, “Eu fiz o curso da ASSOSÍNDICOS/DF e em 22 dias consegui o emprego de Porteiro em um condomínio, com escala 12x36” falou o Porteiro Amarildo.

Se você está buscando uma vaga no mercado de trabalho ou um novo emprego, que tal fazer um curso Dos cursos oferecidos pela ASSOSÍNDICOS/DF e se preparar para entrar no mercado de trabalho.



 Informações: (61) 8115-3927 | 9993-9155 | 9665-5755 | 3027-2771 | 8422-5191 | 8101-1481 | 9346-8734

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Pesquisa Deputado Distrital




O Instituto Directa realizou pesquisa de intenção de votos apenas junto ao segmento evangélico, para todos os cargos eletivos no DF. Foram entrevistadas 1.020 pessoas de várias igrejas evangélicas de todo o Distrito Federal. O levantamento foi realizado entre os dias 17 e 22 de julho. Tanto a pesquisa espontânea quanto a estimulada mostra a candidata Liliane Roriz(PRTB) na liderança. Outro número que chama a atenção é o número de indecisos que chega a 74%. 


Espontânea 

Liliane Roriz 5%

Rodrigo Delmasso 0,7%

Pastor Egmar 0,7%

Bispo Renato 0,4%

Júlio César 0,5%

Risomar Carvalho 0,5%

Missionária Denisia Maria 0,5%

Robério Negreiros 0,1%

Chico Vigilante 0,1%


Godofredo 0,1%

Agaciel Maia 0,1%

Cláudio Abrantes 0,1%

Maninha 0,1%

Guilherme Campelo 0,1%

Ana Maria Silva 0,09%

Nilo Cerqueira 0,09%

Paulo Roriz 0,09%

Não sabem 74%

Nulo/Branco 16,83%


Estimulada 

Liliane Roriz 7,9%

Pastor Egmar 6,4%

Bispo Renato 6%

Missionária Denisia Maria 6% 

Júlio César 3,2%

Agaciel Maia 3%

Cláudio Abrantes 2,8%

Rodrigo Delmasso 2,8%

Risomar Carvalho 2,7%

Chico Vigilante 1,7%

Leila do Volei 1,6%

Chico Leite 1,4%

Paulo Roriz 1,3%

Marcos Arruda 1,2% 

Celina Leão 1,1%

Doutor Michel 1,1%

Toninho Pop 1%

Nilo Cerqueira 1% 

Robério Negreiros 0,9%

Daniel de Castro 0,8%

Wasny de Roure 0,8%

Ana Maria Silva 0,5%

Doutor Charles 0,5%

Godofredo 0,5%

Guilherme Campelo 0,4%

Charles Kireibara 0,3%

Dedé Roriz 0,3%

Sandra Faraj 0,3%

Cristiano Araújo 0,2% 

Everardo Ribeiro 0,1%

Juareizão 0,1%

Brancos/Nulos 16% 

Não sabem 25%

Outros 1,7%

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do DF(TRE-DF) com o número DF-00023/2014

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Reunião dos Brics definirá novo banco de desenvolvimento

Em Fortaleza e Brasília, chefes de estado definirão a presidência, o local da sede do novo banco e criação de fundo

BRICS discutirão criação de instituições financeiras que terão reservas de até US$ 200 bilhões

Países definem medidas de sustentabilidade ambiental

Os chefes de Estado e de governo do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul - que integram o bloco dos Brics - vão discutir na próxima semana (15 e 16), na 6ª reunião de cúpula do bloco, em Fortaleza (CE), a criação do Banco de Desenvolvimento, destinado a financiar projetos de infraestrutura e de sustentabilidade.

Também será discutida a criação do fundo Arranjo Contingente de Reservas (CRA), para ajudar os países do bloco em caso de dificuldades com balanço de pagamentos.

Segundo o subsecretário de Política do Ministério das Relações Exteriores, embaixador José Alfredo Graça Lima, o banco e o fundo “não serão competidores do Banco Mundial (Bird) nem do Fundo Monetário Internacional (FMI), mas suplementares a estas instituições”.

Segundo informações de Graça Lima, o banco terá capital inicial de US$ 50 bilhões, sendo US$ 10 bilhões em recursos e US$ 40 bilhões em garantias. Depois da assinatura do acordo para sua criação, o banco terá que ser aprovado pelos parlamentos dos cinco países.

Quanto ao fundo, o embaixador informou que o capital inicial será de US$ 100 bilhões e que o seu objetivo será enfrentar desequilíbrios nos balanços de pagamentos de algum dos países do Brics, que venha a enfrentar dificuldades.

A China entrará com US$ 41 bilhões; o Brasil, a Rússia e Índia com US$ 18 bilhões cada; e a África do Sul com US$ 5 bilhões. A expectativa é que outros países em desenvolvimento também possam tomar empréstimos do banco, mas os critérios para tanto serão definidos em um segundo momento, disse José Alfredo Graça Lima.

A presidência do banco, que será rotativa, e o local de sede serão definidas na cúpula, na capital cearense, bem como o conselho de administração e outras questões técnicas. O Brasil foi o único membro que não se candidatou a sediar o banco. As opções são Xangai (China), Joanesburgo (África do Sul), Moscou (Rússia) e Nova Delhi (Índia).

Infraestrutura
Em palestra para jornalistas, nessa quarta-feira (9), no Centro Aberto de Mídia da Copa, em Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro, o embaixador falou sobre o encontro do grupo formado por estes cinco países, que começará no dia 15, na capital do Ceará, e terminará em Brasília, no dia seguinte, com participação de todos os mandatários das nações do Brics e de países convidados da América do Sul.

“Os financiamentos serão para projetos sustentáveis e de infraestrutura. O banco suplementa o Bird e o arranjo de contingente de reservas espelha o FMI. Os países do Brics têm propostas de reformas que não podem ser atendidas, especialmente pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).


De certa maneira, a criação do arranjo contingente de reservas e do banco atende a essas necessidades”, disse ele. “O foco da participação do Brics está na responsabilidade por uma ordem mais justa, não para ter mais poder. Nos dias de hoje não é importante apenas crescer, é preciso crescer com melhor distribuição da renda, e é disso que estamos justamente tratando na 6ª Cúpula dos Brics”, completou.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Cardozo rebate críticas de Campos e Aécio à segurança

"Acho que as críticas são mais por razões eleitorais do que por convicção, porque ele sabe que não foi assim quando ele foi governador", concluiu

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, rebateu nesta quarta-feira, 04, as críticas feitas pelos dois principais adversários da presidente Dilma Rousseff (PT), pré-candidata à reeleição, no pleito deste ano na área de segurança pública. Cardozo classificou as declarações do ex-governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos - que ontem apontou que o governo federal era "omisso" e disse que não se pode dar atenção ao tema apenas nos grandes eventos internacionais -, de "injustas" e carregadas de razões "eleitoreiras".


"Ele próprio (Campos) me recebeu várias vezes para discutir o programa de segurança", contra-atacou o ministro da Justiça, referindo-se ao período em que o pré-candidato do PSB a presidente esteve à frente do governo de Pernambuco e era aliado de Dilma. "E nós o apoiamos." Cardozo apontou ainda que a administração federal enviou as Forças Armadas para garantir a segurança durante uma greve da Polícia Militar (PM) no Estado. "Acho que as críticas são mais por razões eleitorais do que por convicção, porque ele sabe que não foi assim quando ele foi governador", concluiu.

Também coube a Cardozo blindar a gestão federal de artilharia lançada pelo pré-candidato a presidente Aécio Neves, que também acusou uma "omissão criminosa" na política de Segurança Pública do País. Em entrevista ao jornal "O Estado de S.Paulo" nesta quarta-feira, Cardozo reagiu e, referindo-se a Aécio, disse que "quem não tem argumentos manipula dados". "Eu gostaria de fazer debate sobre Segurança Pública de alto nível, mas as críticas feitas pelo senador são críticas rasteiras e superficiais, que demonstram ausência de proposta e erro nas críticas", afirmou.

Sobre as acusações de que o Poder Executivo federal não tem plano de segurança para o Brasil, o ministro rebateu afirmando que "é uma pena" que Aécio não saiba que o "plano-piloto deste programa está em Alagoas, Estado mais violento do País, governado pelo PSDB". Cardozo disse ainda que o governador Teotônio Vilela (PSDB) "agradece a parceria com o governo federal que permitiu a queda da violência local em 21%". O ministro ironizou: "Se o senador Aécio estivesse no Senado nas inúmeras vezes que estive lá falando sobre o programa de Segurança Pública, poderíamos ter debatido o tema. Talvez, ele não saiba o que está sendo feito pelo governo federal porque não estava lá".

Retirar amígdalas não é primeira opção para tratamento de inflamações

No entanto, há casos em que nem medicamentos anulam necessidade da cirurgia

ESCRITO POR:Samanta Dall'Agnese - Otorrinolaringologia

A cirurgia das amígdalas teve uma queda expressiva nas indicações nas últimas décadas, mas ainda é muito comum. O avanço dos antibióticos, cada vez melhores, permitiu que as infecções, que eram a maior indicação para cirurgia, fossem tratadas com medicação. Atualmente, são os distúrbios respiratórios que levam a maior parte dos pacientes a realizar a cirurgia. 

 A cirurgia é normalmente indicada quando as amígdalas acarretam algum prejuízo para o paciente (respiração, sono, alimentação, fala) ou quando as infecções se tornam frequentes. 

 Amígdalas palatinas hipertrofiadas, principalmente se associadas com aumento da adenoide, podem levar à respiração oral, que não é o ideal. Quando isto acontece em crianças, a face não se desenvolve adequadamente e os dentes crescem mal posicionados pois a respiração nasal influencia no crescimento da face. As amígdalas hipertrofiadas também podem causar um desconforto no sono, levando à síndrome da apneia do sono. Nesta síndrome, a pessoa faz um grande esforço para respirar enquanto dorme, o que se reflete em um sono de má qualidade e, no dia-a-dia, redução de concentração e de memória. Em alguns casos mais graves, a hipertrofia das amígdalas pode chegar ao ponto de causar uma obstrução mecânica à passagem de alimentos. Um sinal de que a criança pode sofrer deste problema é quando ela passa a preferir alimentos líquidos e pastosos e não consegue ganhar peso. 

As principais contraindicações à cirurgia são anemias e alterações da coagulação.
 Quando as infecções nas amígdalas se tornam frequentes, a cirurgia também pode ser a solução, dependendo da frequência com que ocorrem e do prejuízo que elas causam ao paciente. Neste sentido, a cirurgia pode ser indicada se a criança perde vários dias de escola ao ano por conta de amigdalites. Existe uma situação chamada amigdalite caseosa, que normalmente afeta adultos, em que as amígdalas acumulam o caseum, ?bolinhas brancas? formadas por restos de alimentos, saliva e células. O caseum leva ao mau hálito, que, se levar a grande incômodo, pode ser resolvido com cirurgia. Em alguns casos de infecção mais graves, como um abscesso periamigdaliano, que é uma coleção de pus que se desenvolve a partir de uma amigdalite, a cirurgia é indicada mesmo com poucos episódios infecciosos. 

 As principais contraindicações à cirurgia são anemias e alterações da coagulação. Como existe o risco de sangramento durante a cirurgia, pode haver uma piora da anemia. Já as alterações de coagulação podem aumentar as chances de sangramento. Cada caso deve ser avaliado de forma individualizada, buscando-se a causa do distúrbio e tratamento adequado. Uma vez corrigida a alteração, a cirurgia pode ser realizada.  

 Outra contraindicação mais rara é a fissura submucosa. Nesta situação, o palato ("céu-da-boca") apresenta uma fissura no meio. O paciente pode não ter sintomas e, quando passar por avaliação, nem sempre sabe do problema. O diagnóstico é importante porque no pós-operatório o paciente pode apresentar saída de alimentos pelo nariz por uma disfunção do palato em se movimentar e fechar a comunicação que existe entre as cavidades oral e nasal. Este problema em geral é revertido após algumas semanas, mas pode persistir por mais tempo e dificultar a alimentação. 

Combata rouquidão e dor de garganta
Dor de garganta: conheça as causas e acabe com ela
Dor de garganta: oito medidas que aliviam o sintoma
 Não existe idade mínima para realizar a cirurgia, o que importa é uma correta indicação. Porém, se a criança for muito nova, a adenoide, estrutura que se localiza atrás do nariz e que é frequentemente retirada junto com as amígdalas palatinas, pode voltar a crescer. Se voltar a apresentar desconforto para respirar e sensação de nariz entupido, uma nova cirurgia poderá ser necessária.

 Muitos pacientes generalizam dores de garganta atribuindo a problemas nas amígdalas. Certas doenças tem sintomas muito parecidos, mas exigem tratamentos muito diferentes. As amigdalites em geral tem curta duração. Quadros de dor de garganta recorrente podem também estar associados ao refluxo gastroesofágico. Apenas uma consulta com um especialista poderá indicar o melhor tratamento, considerando as particularidades de cada pessoa. Durante a avaliação, o especialista deve fornecer orientações sobre riscos e benefícios de cada tratamento, baseando-se nas diretrizes estabelecidas pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Peemedebistas organizam dissidência para apoiar Campos

Coordenado pelo senador Jarbas Vasconcelos(PE), um grupo de parlamentares do PMDB se organiza para fundar uma dissidência formal dentro do partido para apoiar o pessebista Eduardo Campos na corrida presidencial de 2014. "Queremos fazer um manifesto formal de apoio a Eduardo", disse Jarbas ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

Jarbas realizou ontem em sua casa um jantar com os parlamentares que inicialmente integram o grupo. São eles os senadores Pedro Simon (RS), Waldemir Moka (MS), Ricardo Ferraço (ES) e Luís Henrique (SC) e os deputados Raul Henry (PE), Danilo Forte (CE), Fábio Trad (MS), Geraldo Resende (MS), Darcísio Perondi (RS) e Osmar Terra (RS). Segundo Jarbas, a conversa "fluiu bem" e todos do grupo já fecharam apoio, à exceção de Luís Henrique. Ele ainda penderia entre apoiar Campos ou Aécio Neves (PSDB).

O grupo de insatisfeitos com o governo Dilma Rousseff (PT) teria escolhido Campos principalmente por ele ter um discurso de reconhecimento de avanços tanto no governo Fernando Henrique, do PSDB, como no governo Lula, do PT. A terceira via proposta pelo pessebista seria mais interessante para o grupo por ter um leque mais amplo de diálogo no cenário político.

Segundo Jarbas, o que prevalece é um amplo senso de rejeição a um segundo mandato de Dilma. "As coisas sofreram um hiato (após os governos FHC e Lula) por causa da incompetência da presidente da República", disse. "A Dilma, para nosso grupo, se exauriu, seu governo está em decomposição", complementou o senador.

Questionado pelo Broadcast Político sobre declarações anteriores de Campos e de sua vice na chapa, Marina Silva, de que em um governo deles o PMDB seria oposição, Jarbas diferenciou seu grupo, dizendo que ele é composto por parlamentares do "PMDB autêntico, que tem história, compromisso e ética". Jarbas acrescentou que não houve qualquer restrição ds membros à figura de Marina.

Em entrevista ao Broadcast Político, o próprio Campos havia mencionado nomes da lista de dissidentes do PMDB, reforçando que a essa base interessaria a proposta articulada por PSB e Rede nesta campanha presidencial. Na próxima semana, o Jarbas organiza um jantar, provavelmente na quarta-feira, 14, com objetivo de reunir formalmente o grupo com Campos. Segundo Jarbas, a ideia é que o número de deputados da dissidência chegue a 15. Já o número de senadores, se Luís Henrique se decidir pelo apoio ao PSB, deve ficar em cinco.

Menstruar ou não menstruar?

Cada vez mais mulheres optam por interromper de vez a menstruação. Veja o que os médicos dizem e o que deve ser levado em conta na hora de tomar essa decisão


Sabrina Mascarenhas de Oliveira tem 21 anos e nem sofre muito com a sua menstruação. "Apenas sinto vontade de comer chocolate durante a TPM e sinto um pouco de dor", conta a jovem estudante de administração que reside em Mauá, na Grande São Paulo. Apesar de não experimentar cólicas severas e outras complicações do ciclo menstrual, ela acredita que seria bom acabar com o sangramento mensal. "Isso me ajudaria, mas tenho medo do que possa me acontecer no futuro."

Sabrina não é a única a ponderar sobre o tema. Segundo um estudo realizado pela Universidade Estadual de Campinas, no interior paulista, 32,5% das mulheres gostariam de nunca mais menstruar e 40% sonham com uma simples trégua, ficando mais de um mês sem sangrar. "Essa não é uma tendência exatamente nova, mas agora a mulher se sente com mais liberdade de escolha", diz a psiquiatra Carmita Abdo, que é coordenadora do Instituto ProSex, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

O assunto rende debates entre amigas e gera opiniões diferentes entre os próprios médicos. "Há dez anos, eu diria que suprimir a menstruação era ir contra um processo natural. Hoje, porém, os métodos estão bem mais seguros", afirma o ginecologista César Eduardo Fernandes, presidente da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo.

Afinal, menstruar pra quê?

A gente conhece esta história: todos os meses, o corpo da mulher se prepara para engravidar e, quando isso não acontece, o óvulo amadurecido é liberado junto com parte do endométrio, a parede uterina. Isso é um sinal de que o organismo feminino está saudável e que os hormônios estão cumprindo direito o seu papel. Ponto.

Para interromper o ciclo, os especialistas indicam anticoncepcionais já conhecidos. "A diferença é que a mulher continua utilizando o método sem os intervalos geralmente recomendados", explica o ginecologista Jarbas Magalhães, secretário da Comissão Nacional de Anticoncepção da Federação Brasileira de Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

A maioria desses contraceptivos age de forma semelhante: trata-se de moléculas artificiais que agem como o estrogênio e o progestagênio, dois hormônios produzidos durante o ciclo menstrual. Ao simular essas duas substâncias, o remédio encena a fecundação que não ocorre. "O sangramento que as mulheres têm no intervalo da pílula é fruto apenas da falta do hormônio, e não uma menstruação legítima", esclarece a ginecologista Lucila Pires Evangelista, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Existem várias alternativas para deixar de menstruar (veja o quadro na próxima página), mas alguns médicos são contra qualquer uma delas em mulheres jovens e saudáveis. "Embora esses hormônios pareçam seguros, ainda não conhecemos os efeitos no corpo a longo prazo", argumenta o ginecologista Flávio Zucchi, do Hospital Santa Catarina, em São Paulo.

A turma de jaleco só concorda em um ponto: para algumas mulheres, parar de menstruar é essencial. "Indico para pacientes que sofrem com cólicas muito intensas e endometriose, quando o tecido que reveste o útero cresce demais", completa Zucchi.

Sem o sangramento periódico, a tensão pré-menstrual, a famosa TPM, é outra chateação que dá adeus — pelo menos temporariamente. "Em alguns casos graves, em que a sensibilidade fica muito exacerbada, a supressão da menstruação pode ser mais uma arma contra a TPM, mas não podemos fazer dela o único recurso possível", opina o psiquiatra Alexandre Saadeh, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Antes de tomar qualquer decisão, o mais importante é conversar com seu ginecologista. "É preciso avaliar o seu histórico e realizar uma bateria de exames, como o ultrassom transvaginal", recomenda o ginecologista Waldemir Rezende, do Hospital Santa Catarina. A supressão é — ou deveria ser — descartada para obesas, hipertensas e diabéticas descompensadas.

Depois de iniciado o tratamento, é importante ficar de olho no comportamento do organismo. "Até mesmo bons médicos se equivocam na escolha do método, e só o acompanhamento vai revelar se a opção foi certeira", diz César Eduardo Fernandes.

E a fertilidade?

Os efeitos de todos os anticoncepcionais são reversíveis. "Geralmente, indicamos que a paciente deixe de usar esses métodos três meses antes da fase em que deseja engravidar para que o útero, que estava descansando, se prepare para a gestação", explica Flávio Zucchi. Esse período de recuperação do sistema reprodutor varia de acordo com o tempo de ação de cada contraceptivo, que pode chegar a até 18 meses, no caso da injeção trimestral. Para Renate Michel, professora de psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba, a decisão de menstruar ou não precisa ser algo muito refletido. "A mulher deve se perguntar o real motivo desse desejo e decidir de maneira consciente", finaliza Renate.

Qual metódo posso usar
Saiba mais sobre seis anticoncepcionais utilizados para brecar a menstruação e se eles realmente funcionam

> Adesivo
Não impede a menstruação, exceto quando a mulher não segue o período de uma semana de descanso. 
Anel vaginal
É inserido pela própria mulher e dura 21 dias. Até três anéis consecutivos podem ser usados, resultando num período de 60 dias sem menstruar.

> Injeção

Dura três meses, e 60% das mulheres que a utilizam não menstruam nesse período. Pode causar retenção de líquidos.

domingo, 20 de abril de 2014

Péssimas condições em rodovias comprometem escoamento de safra e o transporte de turistas no oeste da Bahia

Os recordes de produção que fizeram do oeste da Bahia uma das maiores fronteiras agrícolas do Brasil e despertaram o interesse do mundo para esta região, são agora, uma ameaça para a sua própria viabilidade, segundo produtores locais. As dificuldades enfrentadas na estrutura logística regional sobrecarregam a produção crescente e comprometem o escoamento da safra e o transporte de passageiros e turista que visitam a região.

O transporte rodoviário, considerado o único modal de escoamento da região, enfrenta condições das rodovias estaduais e federais precárias. As chuvas sazonais prejudicam ainda mais o pouco asfalto e tornam intrafegáveis nas rodovias BR-349, BR-135 e BA-072.

O oeste deve colher, na safra 2013/2014, oito milhões de toneladas de grãos, segundo a estimativa do Conselho Técnico da Associação de Agricultores da Bahia (Aiba). Dentre as principais culturas estão a soja, o milho e o algodão.

Mas não é somente a safra que essas importantes rodovias transporta, nessa rodovia existe um importante polo turístico formado pelo rio corrente na região do município de Correntina.
A rodovia BR-349 que tem aproximadamente 190 quilômetros vai do entroncamento da BR-020 até o município de Correntina-BA. Além de ser um rodovia que corta centenas de fazendas que produzem soja, milho e algodão também leva turistas ao município baiano. Essa rodovia está com péssimas condições com aproximadamente sete mil buracos, além de não existir acostamento em caso de situação de emergência.

Já a BR-135 entre Correntina e Santa Maria da Vitória está praticamente intransitável com centenas de buracos com a rodovia praticamente inexistente.
O que me deixa intrigado é que a presidenta Dilma com o Governador Jaques Wagner e o Ministro dos Transportes Cesar Borges, que também é baiano, esqueceram da última fronteira agrícola do país que gera milhares de emprego, é importante para o PIB do Brasil e alimenta centenas de milhares de brasileiros.

Penso que os políticos baianos e brasileiros não olham para quem produz.

É importante lembrar que o asfalto traz desenvolvimento leva e traz pessoas com esperanças e promessas para um mundo melhor (não somente o asfalto mas o transporte de qualidade seja ele aquaviário, rodoviário e ferroviário). Mas como naquela região tinham três rodovias que governantes que tapam os olhos para as demandas da sociedade e também em uma demonstração de incompetência e descaso com quem produz e gera riquezas não conseguem manter o que estava pronto.

Existe também a rodovia estadual BA-072 que está praticamente intransitável, penso que se o senhor governador da Bahia Jaques Wagner quer que as pessoas que vão de Santa Maria da Vitória até Coribe que ele passe uma moto niveladora nessa rodovia pois o asfalto não existe, o que existe é um conjunto de buracos e panelas que não tem mais jeito, somente a reconstrução total da base.

Quero dizer que nessas rodovias eu passei no dia 19 de abril de 2014, mas já passo pelas mesmas há pelo menos quatro anos. Vejo uma coisa chamada inoperância total de gestão naquela região, posso dizer que o que existe nessa região é um pequeno exemplo de falta de respeito com que produz riquezas para o país, paga impostos e precisa ir e vir pelo nosso país.

Rodovias intransitáveis na Bahia:
BR-349 Entroncamento BR-020 – Correntina-BA.
BR-135 Entre  Correntina e Santa Maria da Vitória.
BA-072 Entre Santa Maria da Vitória e Coribe-BA.

Se você souber de outras rodovias assim pelo Brasil me mande fotos vamos mostrar o caos que existe em diversas rodovias do Brasil.

O Brasil precisa de um grande pacto logístico em um programa com propostas concretas, com recursos para investimentos em ferrovias, rodovias, hidrovias e aeroportos regionais para o transporte de riquezas(cargas) e passageiros, com um plano de verdade, com propostas para a construção, manutenção e operação, com valores prazos e metas previamente estipulados.




























Por Paulo Roberto Melo

MAIS VISTAS